O uso da tecnologia na infância

Desde muito cedo, as crianças têm contato com algum tipo de aparelho eletrônico, seja um celular, tablet, computador ou videogame. A utilização da tecnologia cada vez mais precoce e frequente provoca vários questionamentos polêmicos quanto ao desenvolvimento afetivo, cognitivo e social da criança, uma vez que elas acabam substituindo as amizades reais pelas virtuais e preferem se divertir no mundo virtual, ao invés de brincadeiras tradicionais (jogar bola, correr, amarelinha) que envolvem exercícios físicos e interação social.

Os mais diferentes dispositivos e jogos eletrônicos influenciam diretamente na maturação cognitiva, afetiva e social das crianças, podendo ser benéficos, com o uso direcionado, ou prejudicial com uso intenso e sem propósitos em relação ao desenvolvimento infantil. Os pais precisam definir regras e horários, pois o uso indiscriminado sem dúvida desconstrói o vínculo afetivo entre os membros da família e geram dificuldades no âmbito escolar, lembrando que a agressividade e ansiedade pelo não uso da tecnologia são geradas pela falta de limites na utilização dos aparelhos, não o contrário. Os pais precisam ter a consciência que o NÃO uso NÃO deixa a criança agressiva, ao contrário, o NÃO estabelecimento dos limites que tornam as crianças agressivas e ansiosas.

Por outro lado, existem inúmeras vantagens de usar a tecnologia na educação infantil, pois as crianças desenvolvem suas habilidades e intelecto pela aplicação e uso da tecnologia. Existem diversas maneiras de interagir com o conhecimento, e não se pode negar que o uso das tecnologias, como o uso da informática em sala de aula, que vêm muito a acrescentar como fonte de pesquisa e motivação. Porém, não se pode deixar de lado o incentivo ao trabalho em grupo, ao manuseio do livro didático, das atividades físicas, deixando de lado um pouco do sedentarismo das atividades diante do computador. Deve haver certo equilíbrio entre o uso da tecnologia como fonte de conhecimento, sem que isto afete as outras relações.

×